7 Maneiras de Equilibrar os Hormônios Naturalmente

Hormônios – como estrogênio, testosterona, adrenalina e insulina – são mensageiros químicos extremamente importantes que afetam muitos aspectos de sua saúde geral. Os hormônios são secretados por várias glândulas e órgãos, incluindo sua tireóide, supra-renais, pituitária, ovários, testículos e pâncreas. Todo o sistema endócrino trabalha em conjunto para controlar o nível de hormônios que circulam por todo o corpo e, se um ou mais deles estiver desequilibrado, pode causar problemas graves de saúde.

Tratamentos convencionais para desequilíbrios hormonais geralmente incluem terapias de reposição hormonal sintética, pílulas anticoncepcionais, injeções de insulina, medicamentos para a tireóide e muito mais. Infelizmente, para a maioria das pessoas que sofrem de distúrbios hormonais, confiar nesses tipos de tratamentos sintéticos geralmente faz três coisas:

Isso torna as pessoas dependentes de tomar medicamentos prescritos para o resto de suas vidas, a fim de manter os sintomas sob controle.
Ele simplesmente mascara os sintomas do paciente, mas não os resolve, o que significa que o paciente pode continuar a desenvolver anormalidades em outras áreas do corpo enquanto o distúrbio progride.
Causa um risco maior de efeitos colaterais graves, como derrame cerebral, osteoporose, ansiedade, problemas reprodutivos, câncer e muito mais.
A boa notícia é que existem maneiras de equilibrar seus hormônios naturalmente. Abaixo, você aprenderá que tipo de desequilíbrio hormonal seus sintomas específicos podem estar indicando, quais são as causas do problema hormonal e como você pode ajudar a tratar o problema sem sentir os efeitos colaterais negativos associados aos tratamentos sintéticos.

O que é o sistema endócrino?

Para entender completamente a sua saúde hormonal, certamente ajuda a conhecer seu sistema endócrino e como seus hormônios trabalham juntos para manter a homeostase. O sistema endócrino está encarregado de coordenar a relação entre os diferentes órgãos e hormônios, que são substâncias químicas que são liberadas na corrente sanguínea a partir de células dentro de suas glândulas endócrinas.

Uma vez que seus hormônios estão em circulação, eles atacam tecidos específicos ou células, ligando-se a receptores que estão localizados dentro da célula ou em sua superfície. Esses hormônios funcionam como mensageiros químicos e desempenham um papel fundamental nas funções diárias de seu corpo.

O sistema endócrino é composto de muitas glândulas, incluindo a glândula pituitária ou “glândula mestra”, que é responsável por enviar informações do seu cérebro para outras glândulas em seu corpo. A glândula pituitária também produz muitos hormônios que viajam por todo o corpo e têm diferentes funções importantes.

A glândula pituitária é composta de dois tipos diferentes de tecido: a pituitária anterior, que sintetiza e libera hormônios clássicos, e a glândula pituitária posterior, que secreta neuro-hormônios que são formados no hipotálamo.

Dois hormônios secretados pela glândula pituitária anterior são o hormônio do crescimento, responsável pelo crescimento e desenvolvimento adequados, e a prolactina, que é o hormônio que estimula a produção de leite após o parto.

Hormônios tropicais também são produzidos e secretados pela glândula pituitária anterior, que é uma glândula endócrina, e eles também têm como alvo outras glândulas endócrinas. Esses hormônios incluem:

hormônio estimulante da tireoide (também chamado de tirotropina)
hormônio folículo-estimulante
hormonio luteinizante
Hormônio adrenocorticotrópico

A glândula pituitária posterior não produz hormônios por si só, mas armazena e secreta dois hormônios produzidos na região hipotalâmica, a vasopressina e a ocitocina, e os libera na corrente sanguínea.

Outras glândulas importantes do sistema endócrino incluem a glândula pineal, a glândula tireóide, as paratireoides, o timo e as glândulas supra-renais.

Existem dois grupos principais de hormônios que circulam o corpo humano – aqueles que derivam de aminoácidos (hormônios protéicos, peptídeos e aminas) e aqueles que derivam de lipídios (esteróides). Aqui está um rápido resumo desses subgrupos de hormônios:

Hormônios aminados: Hormônios sintetizados a partir dos aminoácidos triptofano (como a melatonina) e tirosina (como os hormônios da tireóide e a dopamina).

Hormônios peptídicos: Hormônios que consistem em aminoácidos de cadeia curta e incluem o hormônio antidiurético (chamado vasopressina) e a ocitocina.

Hormônios proteicos: Hormônios que consistem em polipeptídeos mais longos e incluem o hormônio do crescimento e o hormônio folículo-estimulante.

Hormônios esteróides: Hormônios derivados do colesterol e incluem testosterona, estrógenos e cortisol.

Quando esses hormônios enviam mensagens, eles são recebidos por receptores hormonais que processam a mensagem e sinalizam eventos específicos ou mecanismos celulares que iniciam a resposta da célula-alvo.

Como você pode ver, todo o sistema endócrino trabalha em conjunto para controlar o nível de hormônios que circulam por todo o corpo. Quando apenas um desses hormônios é um pouco desequilibrado, pode levar a problemas de saúde generalizados que afetam seu crescimento, desenvolvimento e função sexual, sono, metabolismo e fome.

Sinais e sintomas de desequilíbrios hormonais

Alguns dos sinais e sintomas mais comuns de desequilíbrios hormonais incluem:

  • Infertilidade e períodos irregulares
  • Ganho de peso ou perda de peso (isso é inexplicável e não é devido a mudanças intencionais em sua dieta)
  • Depressão e ansiedade
  • Fadiga
  • Insônia
  • Baixa libido
  • Mudanças no apetite
  • Problemas Digestivos
  • Perda de cabelo e queda de cabelo

Os sintomas dos desequilíbrios hormonais podem variar drasticamente, dependendo do tipo de distúrbio ou doença que causam. Por exemplo, o estrogênio alto pode contribuir para problemas que incluem endometriose e problemas reprodutivos, enquanto os sintomas do diabetes freqüentemente incluem ganho de peso, alterações no apetite, danos nos nervos e problemas com a visão.

Alguns problemas específicos associados a alguns dos desequilíbrios hormonais mais comuns incluem:

Dominância de estrogênio: mudanças nos padrões de sono, mudanças no peso e no apetite, maior estresse percebido, metabolismo retardado
Síndrome do Ovário Policístico (SOP): infertilidade, ganho de peso, maior risco de diabetes, acne, crescimento anormal de pêlos.

Baixo nível de estrogênio: baixo desejo sexual, problemas reprodutivos, irregularidade menstrual, mudanças no humor.

Hipotireoidismo: metabolismo retardado, ganho de peso, fadiga, ansiedade, irritabilidade, problemas digestivos, períodos irregulares.

Baixa testosterona: disfunção erétil, perda muscular, ganho de peso, fadiga, problemas relacionados ao humor;

Hipertireoidismo e doença de Grave: ansiedade, queda de cabelo, perda de peso, SII, problemas para dormir, batimentos cardíacos irregulares.

Diabetes: ganho de peso, danos nos nervos (neuropatia), maior risco de perda de visão, fadiga, dificuldade em respirar, boca seca, problemas de pele.

Fadiga adrenal: fadiga, dores musculares e dores, ansiedade e depressão, problemas para dormir, névoa do cérebro, problemas reprodutivos.

Fatores de Risco e Causas de Desequilíbrios Hormonais

Os desequilíbrios hormonais são desordens multifatoriais, o que significa que são causados ​​por uma combinação de fatores como sua dieta, histórico médico, genética, níveis de estresse e exposição a toxinas do ambiente. Alguns dos principais contribuintes para desequilíbrios hormonais incluem:

  • Alergias alimentares e problemas intestinais: Um campo em expansão de novas pesquisas mostra que a saúde intestinal desempenha um papel importante na regulação hormonal. Se você tem síndrome do intestino permeável ou falta de bactérias probióticas benéficas revestindo sua parede intestinal, você está mais suscetível a problemas hormonais, incluindo diabetes e obesidade. Isso ocorre porque a inflamação geralmente decorre do seu intestino e afeta quase todos os aspectos da sua saúde.
  • Estar com excesso de peso ou obeso
  • Altos níveis de inflamação causada por uma dieta pobre e um estilo de vida sedentário
  • Suscetibilidade genética
  • Toxicidade (exposição a pesticidas, toxinas, vírus, cigarros, excesso de álcool e substâncias químicas nocivas).
  • Altas quantidades de estresse e falta de sono e descanso

7 maneiras de equilibrar os hormonios naturalmente

Passo 1: Trocar carboidratos simples por gorduras saudáveis

Comer uma variedade de alimentos ricos em ácidos graxos de cadeia curta, média e longa é a chave para manter seus hormônios sob controle. Seu corpo precisa de vários tipos de gorduras para criar hormônios, incluindo gordura saturada e colesterol. Essas gorduras essenciais não só são fundamentais para a produção de hormônios, mas também mantêm baixos os níveis de inflamação, aumentam o metabolismo e promovem a perda de peso. Gorduras saudáveis ​​têm o efeito oposto de carboidratos refinados, que levam à inflamação e podem mexer com o equilíbrio de seus hormônios.

As minhas quatro fontes favoritas de gorduras antiinflamatórias e saudáveis ​​incluem: óleo de coco, abacate, manteiga e salmão selvagem. Os usos do óleo de coco são abundantes – por exemplo, o óleo de coco (ou creme / leite) tem efeitos naturais anti-bacterianos e de queima de gordura. Os benefícios do abacate incluem melhorar a saúde do coração, diminuir a inflamação, controlar o apetite e contribuir para a ingestão diária de fibras e nutrientes, como o potássio.

A nutrição do salmão também é impressionante: é uma das melhores fontes de ácidos graxos ômega-3, conhecidos por reduzir a inflamação e ajudar nas funções cognitivas. Os ácidos graxos ômega-3 são um componente importante das membranas das células cerebrais e são importantes para a comunicação célula-a-célula no cérebro. Pesquisas mostram que os ácidos graxos ômega-3 ajudam a proteger contra a perda neuronal do hipocampo e reduzem as respostas pró-inflamatórias.

Aqui está uma regra: Evite óleos ricos em gorduras ômega-6 (cártamo, girassol, milho, caroço de algodão, canola, soja e amendoim) e carregue em fontes ricas de ômega-3 naturais (peixes selvagens, sementes de linhaça, sementes de chia, nozes).

Passo 2: Use Ervas Adaptógenas

As ervas Adaptogen são uma classe única de plantas curativas que promovem o equilíbrio hormonal e protegem o corpo de uma ampla variedade de doenças, incluindo aquelas causadas pelo estresse excessivo. Além de estimular a função imunológica e combater o estresse, a pesquisa mostra que vários adaptotógenos – como ashwagandha, cogumelos medicinais, rhodiola e manjericão – podem:

  • Melhorar a função da tireóide
  • Baixar o colesterol naturalmente
  • Reduzir a ansiedade e a depressão
  • Reduzir a degeneração das células cerebrais
  • Estabilizar os níveis de açúcar no sangue e insulina
  • Suporta funções da glândula adrenal
  • Ashwagandha, em particular, pode ser extremamente eficaz no equilíbrio de hormônios. Beneficia a função da tireóide porque promove a eliminação de radicais livres que causam danos celulares. Ashwagandha pode ser usado para apoiar uma tireóide lenta ou hiperativa, e também pode ajudar a superar a fadiga adrenal. Suas glândulas supra-renais podem tornar-se sobrecarregadas quando você experimenta muito estresse emocional, físico ou mental, levando ao rompimento de hormônios como adrenalina, cortisol e progesterona.

O manjericão, que também é conhecido como tulsi, ajuda a regular os níveis de cortisol, trabalhando assim como um remédio natural para a ansiedade e o estresse emocional. Estudos mostram que o manjericão sagrado também pode proteger seus órgãos e tecidos contra o estresse químico de poluentes e metais pesados, que são outros fatores que podem levar ao desequilíbrio hormonal.

Etapa 3: Levar a sério os Desequilíbrios Emocionais

De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, as emoções internas têm um impacto direto na saúde de uma pessoa e abordam desequilíbrios emocionais, fatores externos e escolhas de estilo de vida podem ajudar a prevenir condições de saúde associadas a desequilíbrios hormonais.

Praticantes da MTC acreditam que as emoções do medo causam doenças em seus órgãos reprodutivos, rins e supra-renais, afetando os níveis de cortisol. Isso pode levar a condições graves, como SOP e infertilidade. As emoções de frustração, impaciência e falta de perdão causam doenças no fígado, o que pode levar a um desequilíbrio de estrogênio. E as emoções de preocupação e ansiedade podem causar problemas com os níveis de insulina, o que pode afetar vários hormônios.

Um componente importante de equilibrar seus hormônios naturalmente é abordar quaisquer desequilíbrios emocionais com os quais você está lidando. Você pode fazer isso reduzindo os níveis de estresse, envolvendo-se em reflexões pessoais e dedicando tempo para si mesmo. Praticar meditação ou curar a oração pode ser extremamente benéfico, assim como exercícios de respiração profunda, passando o tempo ao ar livre e exercitando-se todos os dias. As terapias da Medicina Tradicional Chinesa, como acupuntura e massagem, também podem ajudar a melhorar o equilíbrio hormonal, combater o estresse e melhorar o fluxo sanguíneo.

Suas emoções e hormônios estão conectados, então trabalhando para equilibrar um, você está impactando o outro. Se você está se sentindo estressado, com raiva, agitado ou mesmo com medo, entenda que isso está afetando o equilíbrio hormonal e pode levar a problemas de saúde ainda maiores. Continue trabalhando em seu equilíbrio emocional, tornando-o parte de sua rotina diária.

Passo 4: Use Óleos Essenciais

Para equilibrar seus hormônios naturalmente, é importante que você elimine toxinas em seu corpo evitando produtos convencionais para o cuidado do corpo que são feitos com substâncias químicas potencialmente prejudiciais, incluindo parabenos, propilenoglicol e lauril sulfato de sódio. Uma alternativa melhor é usar produtos naturais feitos com ingredientes como óleos essenciais, óleo de coco, manteiga de karité e óleo de mamona.

Para substituir os produtos de limpeza e cuidados com o corpo tóxico, use estes óleos essenciais de balanceamento de hormônios :

Clary sage: Clary sage ajuda a equilibrar os níveis de estrogênio, pois contém fitoestrogênios naturais. Ele pode ser usado para regular o seu ciclo menstrual, aliviar os sintomas da TPM, tratar infertilidade e SOP, e até reduzir as chances de câncer de útero e de ovário. Também serve como um remédio natural para desequilíbrios emocionais, como depressão e ansiedade. Difundir 3-5 gotas de sálvia para ajudar a equilibrar os níveis hormonais e aliviar o estresse. Para aliviar cãibras e dores, massageie 5 gotas de sálvia com 5 gotas de óleo de coco no estômago e em qualquer outra área de preocupação.

Funcho: Problemas com a saúde intestinal causam reações auto-imunes, incluindo distúrbios da tireóide. Use óleo essencial de erva-doce para relaxar o corpo, melhorar a digestão e a saúde intestinal, aumentar o metabolismo e reduzir a inflamação. Você pode esfregar 2 gotas de erva-doce em seu estômago ou adicionar 1-2 gotas a uma aula de água morna ou chá para tomá-la internamente.

Lavanda: O óleo de lavanda promove o equilíbrio emocional, pois pode ajudar a tratar ansiedade, depressão, mau humor e estresse. Também pode ser usado para promover um sono tranqüilo, o que ajudará a equilibrar seus níveis hormonais também. Difunda 5 gotas de óleo de lavanda em casa, adicione 5 gotas a um banho de água quente ou aplique 3 gotas topicamente nas têmporas, nas costas, no pescoço ou nos pulsos.

Sândalo: O óleo essencial de sândalo pode ser usado para aumentar a sua libido, reduzir o estresse, promover o relaxamento, aumentar a clareza mental e até mesmo ajudá-lo a relaxar. A fragrância poderosa desencadeia sentimentos pacíficos e resulta na redução global do estresse que pode levar a desequilíbrios hormonais. Inale o sândalo diretamente da garrafa, espalhe-o em casa ou aplique de 2 a 3 gotas nos pulsos e na parte de baixo dos pés.

Tomilho: O óleo de tomilho melhora a produção de progesterona, o que ajuda a tratar ou aliviar problemas de saúde como infertilidade, SOP, menopausa, depressão, miomas, perda de cabelo e insônia. Para ajudar a equilibrar seus hormônios naturalmente, adicione 2 gotas de óleo de tomilho a um banho de água morna ou esfregue de 2 a 3 gotas com partes iguais de óleo de coco em seu abdômen.

Passo 5: Suplemento para preencher as faltas nutricionais

Às vezes é necessário suplementar para preencher os vazios nutricionais que podem levar a um desequilíbrio hormonal. Aqui estão os principais suplementos que eu recomendo para seus hormônios:

Óleo de prímula: O óleo de prímula contém ácidos graxos ômega-6, como LA e GLA, que suportam a função hormonal geral. A suplementação com óleo de prímula pode ajudar a aliviar os sintomas pré-menstruais e SOP. Também ajuda a criar um ambiente saudável para a concepção.

Vitamina D: A vitamina D quase age como um hormônio dentro do corpo e tem implicações importantes para manter baixos os níveis de inflamação. É por isso que as pessoas que vivem em áreas escuras frequentemente sofrem de depressão sazonal e outros problemas de saúde, a menos que sejam suplementadas com vitamina D. A luz do sol é realmente a melhor maneira de otimizar os níveis de vitamina D porque sua pele nua realmente produz vitamina D quando exposta a até mesmo pequenas quantidades de luz solar direta. A maioria das pessoas deve suplementar com cerca de 2.000 a 5.000 UI diariamente de vitamina D3, se viverem em áreas escuras, durante o inverno e nos dias em que não estão ao sol.

Ashwaganda: Pesquisas mostram que a ashwagandha pode ser útil para apoiar a função adrenal e ajudá-lo a superar a fadiga adrenal.  Suas glândulas supra-renais são glândulas endócrinas responsáveis ​​pela liberação de hormônios, especificamente cortisol e adrenalina, em resposta ao estresse.

Se suas glândulas supra-renais estão sobrecarregadas devido a uma superabundância de estresse emocional, físico ou mental, isso pode levar a uma condição referida como fadiga adrenal. Quando suas glândulas supra-renais ficam esgotadas, isso também pode atrapalhar outros hormônios em seu corpo, incluindo a progesterona, que pode causar infertilidade e níveis mais baixos de DHEA, um hormônio ligado à longevidade e à manutenção de um corpo forte.

Caldo de osso: O caldo de osso acalma o sistema digestivo e fornece nutrientes ao corpo que podem ser facilmente absorvidos. Consumir caldo de osso ou pó de proteína feito de caldo de osso é especialmente benéfico para a sua saúde, pois contém compostos curativos como colágeno, prolina, glicina e glutamina, que têm o pó para melhorar sua saúde geral.

Probióticos: Os probióticos podem ajudar a reparar seu revestimento intestinal, que por sua vez pode equilibrar seus hormônios. Quando partículas de alimento não digeridas, como o glúten, por exemplo, vazam através de seu intestino na corrente sanguínea, ele causa inflamação causadora de doenças que afeta todo o corpo – especialmente glândulas como a tireóide, que é muito suscetível a inflamações elevadas. A maioria das pessoas com intestino gotejante tem uma deficiência de probióticos em suas entranhas. Os probióticos são bactérias saudáveis ​​que podem realmente melhorar a produção e a regulação de hormônios-chave, como insulina, grelina e leptina.

Etapa 6: Cuidado com Medicamentos e Métodos contraceptivos

Você está ciente dos efeitos colaterais da sua medicação? Alguns podem atrapalhar seu equilíbrio hormonal, levando a efeitos colaterais como fadiga, alterações do apetite, padrões de sono alterados, baixa libido, tristeza e até depressão. Alguns medicamentos que podem mexer com o seu equilíbrio hormonal incluem corticosteróides, estimulantes, estatinas, agonistas da dopamina, rexinoides e glicocorticoides. Cuidado com seus medicamentos, converse com seu médico sobre os efeitos colaterais e pesquise alternativas naturais sempre que possível.

Anticocepcional é outro medicamento perigoso que altera os níveis hormonais. “A pílula” é um tipo de terapia hormonal que eleva os níveis de estrogênio a níveis tão perigosos que pode causar muitas complicações. Eu insisto com todas as minhas pacientes para parar de usar a pílula imediatamente, especialmente considerando que existem muitas outras maneiras (mais seguras) de prevenir a gravidez. Meus pensamentos sobre tomar a pílula podem ser resumidos desta maneira: Apenas diga não às pílulas anticoncepcionais! Estudos mostram que os riscos de tomá-los, especialmente a longo prazo, podem incluir:

  • Sangramento de ruptura entre os ciclos
  • Aumento do risco de câncer de mama
  • Risco aumentado de hemorragia uterina, coagulação sanguínea, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral
  • Enxaquecas
  • Aumento da pressão arterial
  • Ganho de peso
  • Dores nas costas
  • Mudanca de humor
  • Náusea
  • Tumores benignos do fígado
  • Mastalgia

Passo 7: Durma Mais

A menos que você tenha de 7 a 8 horas de sono todas as noites, não fará favor ao seu corpo. A falta de sono ou a perturbação do seu ritmo circadiano natural podem ser um dos piores hábitos que contribuem para um desequilíbrio hormonal. Como assim? Porque seus hormônios trabalham em um horário! Caso em questão: o cortisol, o principal “hormônio do estresse”, é regulado à meia-noite.

A falta de sono, o uso prolongado de corticosteróides e o estresse crônico são três dos maiores contribuintes para os altos níveis de cortisol. Um relatório publicado no Indian Journal of Endocrinology and Metabolism afirmou que “o estresse pode levar a mudanças no nível sérico de muitos hormônios, incluindo glicocorticóides, catecolaminas, hormônio do crescimento e prolactina.”

O sono ajuda a manter os hormônios do estresse equilibrados, constrói energia e permite que o corpo se recupere adequadamente. O estresse excessivo e o sono precário estão associados a níveis mais altos de cortisol matinal, diminuição da imunidade, problemas com o desempenho no trabalho e maior suscetibilidade à ansiedade, ganho de peso e depressão. Para maximizar a função hormonal, idealmente tente ir para a cama às 10 da noite. e ficar com um ciclo de sono-vigília regular, tanto quanto possível.

Como testar sua saúde hormonal

Se você está preocupado com sua saúde hormonal, você pode ter seus níveis de hormônio testados das seguintes maneiras:

Teste de saliva: o teste de saliva mede os níveis de hormônios do seu corpo no nível celular. Um teste de saliva pode medir seus níveis de estrogênio, progesterona, testosterona, cortisol e DHEA. Quando você fornece e testa várias amostras ao longo do tempo, o seu provedor de serviços de saúde pode formular alterações de gráficos em hormônios com testes de saliva.

Teste de sangue: este tipo de teste hormonal requer que seu sangue seja coletado em um laboratório e depois medido para os níveis hormonais. Um exame de sangue pode medir os níveis de hormônios livres (ou ativos) e totais, que a saliva e o teste de urina não podem fazer.

Teste de urina: Um teste de hormônio na urina requer que você colete cada gota de urina por um período de 24 horas. Em seguida, a sua urina é testada para identificar cada hormônio presente e em que níveis nesse dia específico. Este é o teste de saúde hormonal mais extenso porque mede os seus níveis hormonais ao longo de todo o dia, em vez dos níveis por um momento, o que é o caso dos testes de sangue e saliva.

Teste de hormônio folículo-estimulante: Este tipo de teste é comumente usado para medir o estado hormonal de mulheres na pré-menopausa que estão começando a apresentar sintomas da menopausa.

Precauções ao tratar desequilíbrios hormonais

Em alguns casos, tratamentos hormonais sintéticos (como insulina ou medicamentos para a tireóide) serão necessários para tratar um desequilíbrio hormonal. No entanto, a maioria das pessoas pode se sentir muito melhor, fazendo as mudanças de estilo de vida descritas acima.

Para pessoas com distúrbios hormonais diagnosticados – incluindo diabetes tipo 1 ou tipo 2, insuficiência adrenal, doença de Addison, doença de Graves e síndrome de Cushing, por exemplo – é sempre importante conversar com seu médico antes de interromper o uso da medicação.

Os tratamentos naturais acima ainda podem ajudá-lo a superar sua doença e reduzir muito os sintomas, mas essas recomendações não devem substituir a supervisão médica. Como os desequilíbrios hormonais variam muito em termos de gravidade dos sintomas, sempre acompanhe como você está se sentindo, faça sua pesquisa e avalie como você reage a diferentes tratamentos.

Considerações Finais sobre Desequilíbrios Hormonais

Os desequilíbrios hormonais afetam muitos milhões de pessoas em todo o mundo, nas formas de distúrbios comuns, como diabetes, distúrbios da tireóide, irregularidades menstruais, infertilidade, baixa testosterona e dominância estrogênica.
Os sintomas incluem sentir-se ansioso, cansado, irritado, ganhar ou perder peso, não dormir bem e perceber mudanças no seu desejo sexual, concentração e apetite
Causas para desequilíbrios hormonais incluem saúde intestinal deficiente, inflamação, alta quantidade de estresse, suscetibilidade genética e toxicidade
Os tratamentos naturais incluem comer uma dieta anti-inflamatória, consumir ômega-3 suficiente, dormir bem, exercitar e controlar o estresse.

 

 

 

 

 

 

 Fonte: Dr. Josh Axe
Please follow and like us:

One thought on “7 Maneiras de Equilibrar os Hormônios Naturalmente”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *